estudos> inspiradores

os inspiradores

pensadores que inspiram o projeto

Virginia Woolf, Gillles Deleuze e Claudio Ulpiano são os principais inspiradores da CASA DO SINO, por terem sido pensadores compartilharam as seguintes características:

 

  • foram verdadeiras usinas de criação;
  • seus pensamentos se estendem por regiões extensas e transdisciplinares;
  • não desvincularam suas obras de suas vidas e
  • deixaram saudades naqueles que tiveram o privilégio de com eles conviver, devido à generosidade e ao afeto que emanavam
VirginiaWoolf Deleuze Claudio Ulpiano

Estes traços em comum permitem delinear um perfil ético-pedagógico a nortear as práticas da CASA DO SINO, a partir de seus legados.

Veja a seguir um breve perfil de cada um dos três inspiradores, a começar por Virginia Woolf.

continua

Virginia Woolf (1882-1939)

 

Virginia Woolf foi uma grande escritora, (romancista e ensaísta), que nasceu e viveu em Londres na primeira metade do século XX.

Seus romances foram responsáveis por importantes inovações na arte literária ficcional. Woolf aperfeiçoou e poetizou a técnica do fluxo da consciência e suscitou inúmeras questões filosóficas dentro do tecido de suas narrativas, levando o romance a seu limite.

Seus ensaios, críticas e resenhas ajudaram a sensibilizar os leitores de sua época para as vozes silenciadas, preparando o terreno para fenômenos que mais tarde seriam conceituados como "pós-modernidade", "pós-estruturalismo", "literatura pós-colonial" e "literatura feminista."

Seus escritos auto-biográficos abrem as portas para o entendimento dos processos vivos de um pensamento produtivo e criador.

 

Em breve,
  • listagem da obra completa de Virginia Woolf
  • sites de interesse sobre Virginia Woolf.

continua

Gilles Deleuze (1925-1995)

Gilles Deleuze foi um grande filósofo contemporâneo francês, freqüentemente associado ao "movimento pós-estruturalista".

Deleuze exerceu influência marcante nos pensamentos de nossa época pela maneira inovadora como repensou a filosofia e a agenciou com outras práticas de criação de pensamento, particularmente com a arte e a ciência.

Inspirando-se na prática nietzscheana, Deleuze revitalizou a Filosofia e a projetou para fora do âmbito estritamente histórico com a qual ela era tradicionalmente tratada nas academias. É isso que ele faz nas obras em que trata dos filósofos do passado e também naquelas em que ele próprio produz sua filosofia. Afinal, para Deleuze a filosofia é a prática de criar conceitos.

Além disso, Deleuze se debruçou sobre a arte, em particular sobre a Literatura. Tinha uma admiração especial pela Literatura Inglesa.

Nasceu e viveu em Paris e lecionou durante muitos anos na Universidade de Vincennes. Sua amizade com Felix Guattari rendeu brilhantes obras em parceria.

 

Visualize a listagem da obra completa de Gilles Deleuze.
Em breve, sites de interesse.

continua

Claudio Ulpiano (1932-1999)

 

Claudio Ulpiano foi um filósofo brasileiro que produziu seu pensamento em consonância com a linhagem nietzscheana. Contemporâneo de Deleuze e Guattari, foi responsável, durante os anos 1980, pela introdução no Brasil da obra dos dois filósofos franceses, com quem manteve intenso intercâmbio.

Claudio era uma máquina de fabricar conceitos. Seu pensamento vulcânico não deixou "obra escrita", no sentido tradicional da expressão, mas sua obra se encontra presente nas centenas de aulas anotadas e gravadas por seus alunos (e hoje compiladas pelo Centro de Estudos Claudio Ulpiano).

Claudio nasceu em Macaé, RJ, mas viveu e produziu no Rio de Janeiro. Professor de Filosofia da UERJ e da UFF, também ministrava suas aulas em grupos de estudo espalhados pela cidade. Esses grupos convergiam as mentes mais sensíveis e produtivas da época, pois Claudio era a própria vivência intensa do pensamento, que procurava transformar a vida em obra de arte.

Claudio tornou a filosofia não só acessível, mas principalmente uma questão de vida para toda uma geração que sequer havia tido contato com a disciplina na escola brasileira.

Suas aulas, conceitos e coerência na prática de uma ética e estética da existência inspiraram e influenciaram todos aqueles que tiveram o privilégio de com ele conviver.

 

Vera escreveu um texto lembrando os 10 anos de falecimento de Claudio Ulpiano. Foi publicado em março de 2009 no site do Centro de Estudos: Dez anos sem Claudio . (uma nova janela/ aba se abrirá)

 

 

<< página anterior | - | próxima página >>