estudos > plano-base

o plano-base

o principal norteador das atividades

Um plano-base norteia os estudos do projeto.

A partir do desenrolar de suas leituras, novos sub-planos de estudo vão-se construindo, sem que percamos de vista a rota motivadora.

O plano principal é calçado em cima do tema-condutor do projeto, o pensamento criador, e de dois textos, conforme explicamos a seguir.

continua

o tema-condutor e seus dois textos

 

foto pb de Gilles Deleuze

A proposta do plano principal é entrecruzar dois textos escritos por dois dos inspiradores do projeto. São textos que gravitam ao redor do tema condutor do projeto, isto é, o pensamento criador. Ambos estão disponíveis para download na biblioteca.

O primeiro dos dois textos-condutores a ser trabalhado se intitula O que é a Filosofia? escrito por Gilles Deleuze (em conjunção com Félix Guattari) e publicado no Brasil em 1995. 

Virginia Woolf aos 20 anosO segundo texto-condutor é o romance To the Lighthouse de Virginia Woolf, publicado em 1927 e traduzido para o português como Passeio ao Farol. Este texto-condutor será trabalhado na versão original acompanhada da tradução.

Ambos os textos atuam como mapeadores de percursos de pensamentos criadores.

continua

o texto de Deleuze:
da Filosofia para a arte

(incluindo a Literatura)

 

capa do livro O QUE É A FILOSOFIA

Em O que é a Filosofia?, Deleuze (junto com Guattari) explicita como o processo de filosofar, isto é, o processo de criar por conceitos, é muito parecido com o processo do criar artístico (e com o da criação científica, ainda que esta não nos interesse por ora).

Eles demonstram - e conceituam - esta proximidade através de exemplos de obras de diversos filósofos, romancistas, pintores e músicos.

Trata-se, portanto, de um texto de filosofia prática e não "sobre História da Filosofia". É por tal motivo que, teoricamente, não é necessário um conhecimento prévio de História da Filosofia, para se adentrar em suas propostas.

Nossa estratégia de trabalho (metodologia) é visitar alguns desses exemplos, à medida em que avançamos no texto-base.

Estas "visitas para fora dos trilhos do texto-base" são as principais responsáveis pelos sub-planos de estudo.

O segundo texto-base é o romance To the Lighthouse (Passeio ao Farol) de Virginia Woolf.

continua

o texto de Virginia Woolf:
da Literatura para a Filosofia

capa de TO THE LIGHTHOUSE de Virginia Woolf

 

Com a obra de Virginia Woolf, To the Lighthouse (Passeio ao Farol), vemos ocorrer o inverso do que acontece com o texto deleuzeano.

A partir de uma obra de arte, se chega ao pensamento filosófico. A voz narradora chega ao ponto de conceituar a arte como um extrato da vida a ser preservado, sem perder a dimensão estética e a literariedade da obra.

A obra de Virginia Woolf (ainda não trabalhada pelo grupo de estudo) certamente remeterá a outra obras, literárias ou filosóficas, modernas ou contemporâneas.

Afinal, ela - assim como Deleuze - viam nesta relação entre Filosofia e Literatura, pensar e criar, o próprio sentido da vida.

Na prática, o trabalho sobre esses textos-condutores se dá através de uma metodologia que privilegia a vivência de processos estético-filosóficos.

Como os textos são densos e intensos, com freqüência saímos de seus trilhos e delineamos planos derivados do plano principal: são os sub-planos de estudo.

 

 

<< página anterior | - | próxima página >>